Ronco é motivo de divórcio? Entenda como distúrbio afeta vida do casal

Roncos podem ser o maior pesadelo na vida conjugal. Esse problema é mais comum do que se pensa e pode afetar a saúde não só da pessoa que vive com o distúrbio.

 

É o que revela uma pesquisa da British Lung Foundation, que revelou que uma em cada três pessoas perde o equivalente a 23 dias de sono por ano devido ao ronco barulhento do cônjuge. O problema atrapalha as noites de 39% dos adultos entrevistados no estudo. Durante as pesquisas, foram analisados casais na faixa etária de 20 a 50 anos. Na maioria dos pares, o problema é apresentado pelo homem. Para evitar conflitos, as parcerias chegam a mudar para outro quarto, a fim de conseguir descansar. Não raro, os efeitos podem ser devastadores e até motivo de divórcio. 

 

Apesar desse cenário conturbado, convencer quem ronca a procurar um médico não é tarefa fácil. É comum que o roncador não dê ouvido às reclamações. Dormir em quartos separados pode resolver a questão por algumas noites, mas também pode ser o primeiro passo para o fim do casamento. Sem perceber, o casal reduz a intimidade e a atividade sexual. Por outro lado, as esposas que tentam dormir com o roncador podem sentir as consequências das noites mal dormidas, refletindo no estresse. 

 

A boa notícia é que existem opções de tratamento para o ronco, que exige uma boa avaliação médica. A maioria dos casos é solucionada, o que reforça a importância de se procurar ajuda. Agende já sua avaliação conosco!



Tudo Sobre o Sono

Agende seu exame na pneumosono.

A melhor infraestrutura para você!