Dormir muito não é dormir bem

O sono é fundamental para a saúde. Indispensável para uma vida saudável, pouco se fala sobre o prejuízo causado pelo excesso de sono. Estudos recentes têm indicado diversos riscos associados a períodos de sono com mais de 8 horas de duração. Fica a dúvida: dormir muito pode  ser prejudicial?

Horas insuficientes de sono pioram a saúde, mas as horas a mais também tem consequências: segundo estudos divulgados por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em parceria com o Instituto do Sono, dormir demais provoca a tendência de se desenvolverem doenças cardiovasculares e hipertensão.

Mas por que isso acontece? Em geral, a necessidade de dormir demais está relacionada à má qualidade do sono, quando a pessoa sofre muitas interrupções durante a noite. Essa fragmentação impede que a pessoa atinja fases mais profundas do sono, em que o corpo se revigora e produz hormônios que ordenam o funcionamento do organismo. Ademais, cada vez que a pessoa desperta, a pressão arterial e a frequência cardíaca aumentam. A continuidade desse fenômeno desordena essas funções em nosso corpo, o que explica o surgimento das doenças cardiovasculares. 

A apneia do sono explica a necessidade de dormir constantemente, pois torna o sono frágil. Segundo os pesquisadores da Unifesp, as pessoas que dormem muito costumam apresentar apneia. Esse distúrbio do sono tem como principal sintoma o ronco, além de manifestar como característica a interrupção devido à obstrução das vias aéreas. Portanto, dormir demais não é dormir bem. Atente aos sinais de hipertensão, dor de cabeça matinal, falta de concentração e irritabilidade. Agende sua avaliação do sono conosco e aprimore a qualidade de vida. 

 

Tudo Sobre o Sono

Agende seu exame na pneumosono.

A melhor infraestrutura para você!