Rotina de sono influencia no desenvolvimento das atividades cerebrais

 O sono é essencial na manutenção do organismo, garantindo um bom desempenho da função cardíaca, conforme aponta um novo estudo divulgado na revista científica “Nature Communications”.

Uma equipe de neurocientistas do Instituto Cérebro e Mente da Western University obteve ajuda de mais de 40.000 pessoas ao redor do mundo para conseguir respostas de um questionário online que testava o desempenho cognitivo. Adrian Owen, pesquisador da Western em neurociência cognitiva e imagem, aponta que o objetivo do estudo é entender os principais hábitos de sono: “Nós queremos descobrir como é o sono no mundo real”, afirma. 

Os participantes informaram detalhes sobre seu cotidiano que contribuíram na análise dos resultados, incluindo se usavam algum tipo de medicação, faixa etária, onde moravam e dados sobre o nível de escolaridade. Praticamente metade dos participantes relatou dormir menos de 6,3 horas por noite, média considerada abaixo da quantidade de horas recomendada pelo estudo. 

A pesquisa indica que o cérebro tem a capacidade de mudar e se adaptar a partir de nossas experiências, de modo que o sono adquire um papel importante nesse processo, pois se relaciona a essas mudanças adaptativas que podem, inclusive, ocorrer enquanto dormimos. A descoberta ajuda, nesse sentido, a promover o desenvolvimento de técnicas mais avançadas para lidar com problemas mentais graves, como a demência. Estudos anteriores já haviam relacionado a falta de sono com a ocorrência da demência e a consequente perda da cognição.

Existem soluções práticas que contribuem na melhora do sono. Antes, é preciso compreender o problema e quais os sintomas que estão aparecendo: você se sente cansado sempre? Costuma acordar com a sensação de que poderia dormir por horas a mais? Você depende de medicação para dormir? Questione seus hábitos e, depois, busque alternativas que possam melhorar sua qualidade de vida. Listamos abaixo algumas ações que podem ajudar, confira abaixo!

1. Reduza a temperatura: mantenha o ambiente em 20 graus. Dormimos melhor em uma cama quente localizada em um quarto mais frio.

2. Tenha um colchão bom: certifique-se de que está firme e confortável. 

3. Tome um banho morno: um banho morno aumenta a temperatura do corpo, o que significa que quando você sai do banho, o corpo esfria rápido. Essa temperatura corporal menor facilita o sono.

4. Desligue os sentidos: mantenha o seu quarto escuro e silencioso e, se achar necessário, compre tampões de ouvido.

5. Crie um ritual para dormir: com isso, você não fica extremamente agitado antes de dormir e procura entender o seu próprio jeito de relaxar antes de deitar.

6. Afaste os campos eletromagnéticos: são campos impulsionados por aparelhos eletrônicos, portanto, mantenha-os afastados antes de dormir, já que há a possibilidade de romperem com a produção de hormônios essenciais para um boa noite de sono, como a serotonina e a melatonina. 

7. Escolha suplementos naturais: algumas substâncias naturais como o magnésio e a melatonina ajudam no relaxamento do corpo e do cérebro. Consulte seu médico e veja se há algum suplemento mais indicado às suas necessidades.

8. Se você não conseguir pegar no sono, levante da cama: caso você não consiga pegar no sono, levante e faça uma atividade relaxante. Experimente ler e, após uma hora, deite novamente. 

 

É cada vez mais comum a presença de insônia em adolescentes e adultos. Cuide para tratar esse problema e adote hábitos capazes de melhorar o sono. Deixe nos comentários quais práticas contribuem para que você durma bem!

 

Tudo Sobre o Sono

Agende seu exame na pneumosono.

A melhor infraestrutura para você!