Narcolepsia: quando o excesso de sono e preguiça são preocupantes

Um em cada dois mil indivíduos é afetado pelo distúrbio do sono chamado narcolepsia, segundo cálculos do Centro de Narcolepsia da Universidade de Stanford, na Califórnia. A doença não é de fácil diagnóstico e pode levar anos para que seja detectada.

A narcolepsia é facilmente confundida com a preguiça normal, a sonolência que costuma ocorrer após as refeições. Embora não seja considerada uma doença grave, é preocupante do ponto de vista da segurança do doente, pois quem tem narcolepsia costuma apresentar a cataplexia, que é repentina perda de força e controle muscular.

Por isso, quando o narcoléptico está dirigindo, cozinhando ou operando algum maquinário e tem cataplexia, pode estar se colocando em risco e comprometendo a segurança de quem estiver por perto também.

Outros sintomas da narcolepsia são: a paralisia do sono, quando o indivíduo acorda e não consegue se movimentar e as alucinações hipnagógicas, caracterizadas por possíveis sonhos vividos na transição do sono com a vigília. Em alguns casos, narcolépticos interagem com os sonhos, levando-os a situações inadequadas em público ou em casa, além do sono fragmentado.

Tratamento

Além do tratamento medicamentoso, é necessário que o paciente evite situações em que seja privado do sono noturno; que tire cochilos programados de 15 a 20 minutos, sempre que possível para facilitar o controle da sonolência diurna.

Tudo Sobre o Sono

Agende seu exame na pneumosono.

A melhor infraestrutura para você!